;

sexta-feira, 24 de abril de 2009

CÁLCULOS SALIVARES

por: Fabiano Caetano Brites
Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial
Observership in Oral and Maxillofacial Surgery pelo Mount Sinai Hospital - Canadá

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4133824Z3

O QUE É ISSO?


A formação de cálculos ( pedras ) pode ocorrer em todo o corpo, inclusive na vesícula, no trato urinário e nas glândulas salivares. A sialolitíase ou cálculo salivar representa a obstrução do sistema excretor de uma glândula salivar por calcificações resultantes da estase (estagnação) salivar, sendo duas vezes mais comuns em homens, com incidência maior na faixa dos 30 aos 50 anos. Podem variar em tamanho entre um grão de milho até um caroço de azeitona, raramente ultrapassando um centímetro, como ocorre no caso mostrado a seguir. Geralmente são de formato arredondado, oval ou alongado. Ocorrem principalmente nos três pares de glândulas salivares principais ou maiores: parótidas, submandibulares e sublinguais, mas também podem ocorrer nas chamadas glândulas salivares menores, distribuídas por toda a cavidade oral.



COMO OCORRE?

Como produto da atividade das glândulas salivares, forma-se a secreção salivar (saliva), cuja produção diária é em torno de 800 a 1500ml. Os principais componentes da saliva são proteínas e sais minerais, com função lubrificante, digestiva e antibacteriana. Quando a viscosidade e a concentração de cálcio na secreção salivar aumentam, podem surgir os cálculos salivares. Restos alimentares e bactérias presentes na cavidade bucal podem migrar para o ducto salivar e favorecer o processo. Assim, a deposição de sais minerais ao redor de acúmulos de muco, bactérias e células epiteliais descamadas no interior das glândulas faz com que a massa mineralizada aumente de volume com o passar do tempo. A glândula submandibular (com exteriorização embaixo da língua) é geralmente a mais afetada, sendo responsável por 85% dos casos, pois possui ducto longo e sinuoso, com calibre menor que o ducto da glândula parótida, por exemplo. Por este motivo, a ação da força da gravidade favorece a formação dos cálculos durante o trajeto angulado e tortuoso da saliva.

QUAIS OS SINTOMAS?

Normalmente, a sialolitíase é caracterizada por dor repentina associada com aumento de volume na região glandular durante ou próximo ao ato alimentar, quando a produção de saliva está em seu máximo e o fluxo salivar é estimulado contra a obstrução glandular. A redução gradual do edema (inchaço) vem a seguir, mas o aumento de volume volta a ocorrer repentinamente sempre que fluxo salivar é estimulado. Há uma redução evidente na saliva. Na palpação intrabucal, o cirurgião dentista pode avaliar o cálculo quanto às suas dimensões e localização no ducto salivar.

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

Baseado na história do paciente, no exame físico e em uma variedade de exames por imagem, como radiografias, ultrassonografias, tomografia computadorizada e ressonância magnética. Radiografias com pouca radiação são métodos satisfatórios, por evidenciarem bem a natureza mineral do processo, além de serem de baixo custo. Quando existe a suspeita de cálculo salivar, geralmente a radiografia com contraste é contra-indicada, pelo risco de deslocamento do cálculo para o interior dos tecidos e pela dor que o exame causa. Pode-se lançar mão desta técnica quando o exame radiográfico simples for inconclusivo.


QUAL O TRATAMENTO?

O manejo dos cálculos das glândulas salivares depende da duração dos sintomas, do número de repetições dos episódios, do tamanho e da localização da pedra. O cirurgião dentista especialista em Cirurgia Bucomaxilofacial é o profissional indicado para tratar da doença. O tratamento vai desde a simples estimulação glandular com cítricos, massagens e hidratação, com o objetivo de facilitar a excreção, ou, nos casos de cálculos maiores, a remoção cirúrgica, que normalmente é de simples execução e sem maiores problemas pós-operatórios, devendo-se apenas respeitar a anatomia e inervação local. Antibióticos comumente são prescritos como rotina, pelo potencial bacteriano do processo.Outros tratamentos descritos na literatura são a litotripsia (fragmentação do cálculo), remoção por laser de CO2 e enucleação ( remoção) de toda a glândula salivar envolvida. Normalmente quando o sialolito é encontrado ao acaso durante tomada radiográfica de rotina e não possui sintomatologia, não requer tratamento.


Para saber mais:

FREITAS, R. Tratado de Cirurgia Bucomaxilofacial. São Paulo: Santos, 2006.

GIMESTET, G et al. Cirugía Estomatológica y Máxilo-facial. Buenos Aires: Paraguay 2100, 1967.

NEVILLE, B.W., DAMM, D.D., ALLEN, C.M. et al. Patologia Oral & Maxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988.

PETERSON, L.J. et al. Cirurgia Oral & Maxilofacial Contemporânea. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

SAILER,H.F. & PAJAROLA,G.F. Cirurgia Bucal. Porto Alegre: Ed. Artmed, 2000.



15 comentários:

Inês Carvalho disse...

Muito bom... simples e claro.
Parabéns e continuação de um bom trabalho

simone disse...

Ola, hoje foi detectado em mim esse calculo salivar, e vou dizer doi muito, estou sofrendo com isso a 1 ano, achava que era apenas uma ingua causada por uma inflamação de garganta, mas hoje fui no Otorrino e me foi dito que tem pedra na glandula salivar.
Vou marcar consulta e fazer a cirurgia.
Postem mais observações a respeito, muito importante para pessoas leigas como eu.

Abraços

Fabiano disse...

Ok, obrigado pelos elogios. Se tiverem interesse em trocar ideia sobre o tema, mandem um e-mail. facabrites@gmail.com

felipe disse...

Eu também tenho um calculo na glândula submandibular direita, não dói mas incomoda quando incha, o medico disse que o melhor é tentar tira com massagens mas em mim não adiantou até agora, não sei se é pq ela ta dentro da glândula só sei q não saiu.É chato quero ver se me livro dela o mais rápido possível

Fabiano disse...

Olá Felipe.
O correto seria vc procurar um cirurgião-dentista. Pense nisto!

felipe disse...

Pois é eu vou sim

Amaro disse...

Oi Filipe, tbm sofrir com esse problemas, tive dois calculo e retirada da glandula submandibular. Um calculo tirado atraves de cirurgia bocal o outro atraves de muita massagem que provocou uma inflamaçao no pescoço onde se rompeu aparecendo o calculo maior qum um grao de milho. Tudo isso foi acompanhado por medicos Cabeça e pescoço. Espero q procure um especialista. Ab!

joão gavilan disse...

Olá!
eu sofria desse cálculo salivar já a mais de um ano, ontem consultei um Bucomaxilo e após uma radiografia ele resolveu tirar o cálculo sub mandibular, foi rápido (20 min) e pronto, estou livre desse incômodo.
A cirurgia é pequena, não dói quase nada, anestesia local e é similar à extração de um dente. A minha estava localizada no ducto salivar e media +- 1cm.

gisa disse...

oi pessoal ,estou escrevendo ,mais estou com muita dor, hoje fui ao médico e estou com duas calcificação uma de 5 cm e outra de 3 cm no docto salivar submandibular direito e outa no canal da glandula ,já tomei 3 bezetacil e nada ha e mais 3 priminha da bezetacil que os medicos falam que é mais forte, gente tenho uma duvida ,ja me mandaram p/ doutor cabeça pescoço p/ bucofacial e nada resolvido,gente quem resolve esse problema afinal? me de em resposta.

Fabiano Caetano Brites disse...

Gisa, vc teve azar com os profissionais que escolheu, mas é isso mesmo. Procure um bucofacial de confiança, que pedirá exames por imagem como ultrassonografia ou tomografia para localizar o cálculo, e então decidir se a conduta é cirurgica ou nao.

rosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rosa disse...

oi tenho um calculo de 1,2cm sou obrigada passar por uma cirurgia ou existe outro método de remove-lo? pois já passei por uma cirurgia e foi traumatizante.

Fabiano Caetano Brites disse...

Rosa, normalmente cirurgias deste tipo são indolores e atraumáticas, desde que bem indicadas...se houve algum problema deveria haver outros fatores envolvidos...existem vários métodos de tratamento, mas para um cálculo deste tamanho, acho mais difícil achar uma solução que não seja cirúrgica. Veja no meu blog: http://britesbucofacial.blogspot.com.br/2011/02/pedras-nas-glandulas-salivares.html E no ABC da saúde: http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?696

rosa disse...

Muito obrigada doutor Fabiano pela informação, mas gostaria de saber se é preciso retirar a glandula submandibular esquerda ou se somente o calculo, pois o médico disse que iria retirar os dois. E na primeira cirurgia que fiz foi retirada a glandula do lado esquerdo não lembro o nome da mesma.
Abraços e muita obrigada pela atenção

Marcos Ferreira disse...

Esse cálculo salivar pode ocasionar inchaço e dor? Estou com a minha mandíbula direita inchada desde ontem.